Ford Mustang Mach 1 reestreia com peças do Shelby GT350

De pacote especial, o Mustang Mach 1 ganhou status de versão digna de ganhar reedições. A mais recente delas é, talvez, a mais fiel ao estilo do Mach 1 de 1968. 
Com para-choques exclusivos, grades com espaços alusivos aos faróis de milha e o aerofólio, sua função será a mesma de 50 anos atrás: servir de elo entre o Mustang GT e o Shelby GT350. Porém, com a diferença de não precisar temer os mesmos rivais da época, como o Camaro e o Pontiac Firebird.


Com um motor feroz de 486 cv e 58 kgfm de torque, tem as suas versões voltadas à pista e usam o mesmo bloco com 5.2L de capacidade, graças a uma série de mudanças internas.


Até é possível escolher câmbio automático de 10 marchas, mas o câmbio padrão é o manual de seis marchas Tremec do Shelby GT350, quem também empresta o coletor de admissão, o radiador de óleo 50% mais eficaz e a embreagem de disco duplo.


Freios Bembo e direção com acerto específico fazem parte do Mach1, além de uma suspensão MagneRide com barras estabilizadoras e molas dianteiras mais rígidas. 


O splitter dianteiro é funcional e aumenta o downforce dianteiro em 22%, enquanto o assoalho recebe cobertura aerodinâmica para romper o ar com mais facilidade. Dutos de refrigeração do eixo traseiro e do difusor inferior vêm do Shelby GT500. 
O interior possui detalhes prateados e o padrão da forração dos bancos, com direito até mesmo a uma faixa laranja contrastante para recriar a atmosfera do Mach 1 de 1968.

  • Fonte: Quatro Rodas /
  • Autor: Felipe Parini /
  • Data: 23 junho 2020
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS