Com quase 40 anos, airbag evolui e agora protege até "saída" do teto solar

Importante componente desenvolvido na segurança passiva dos automóveis desde 1981, o airbag também é um dos sistemas que mais evoluiu e se difundiu nas quatro décadas em que já está em uso por automóveis.


As bolsas que inflam de ar automaticamente em caso de colisões, aumentando a proteção de motorista e passageiros, surgiram no começo dos anos oitenta, inicialmente como equipamento exclusivo em modelos de luxo da Mercedes-Benz, uma das marcas pioneiras a adotar o sistema.


Devido a sua eficiência na redução de riscos, o airbag foi se popularizando com o tempo. Ao ser lançado, em sua fase inicial o sistema de proteção era reservado somente ao motorista, teoricamente quem está exposto a mais riscos em caso de uma batida frontal devido ao volante e sua coluna de direção. Além disso, o volante facilitava a instalação da bolsa em seu miolo.


Sete anos mais tarde, em 1988 -- ou seja, exatamente há três décadas --, foi lançada a opção de bolsa de ar para o passageiro do banco dianteiro, instalado em espaço sobre o porta-luvas.


Vinte anos atrás, outra novidade importante surgia, com o desenvolvimento dos airbags de janela para aumentar a proteção dos passageiros em batidas laterais. Atualmente, a evolução deste sistema é um marco na segurança automobilística e proporciona opções de utilização que, em alguns casos, podem somar uma dúzia deles em um único carro. As ofertas, além dos componentes de proteção ao tórax e a pelve, incluem cabeça, joelho e passageiros do banco traseiro.







 


Tetos panorâmicos


A mais recente evolução é a bolsa de ar para teto panorâmico desenvolvido pela Hyundai  Mobis, fabricante de autopeças do grupo coreano. Componentes cada vez mais populares nos automóveis, especialmente nos SUVs, o teto solar proporciona sensação de amplitude e conforto dentro da cabine. Mas não se pode afirmar que sejam seguros no caso de um acidente com capotagem...


Para aumentar a segurança dos modelos equipados com este componente, portanto, o airbag de teto tem como objetivo não só reduzir ferimentos, mas também evitar que motoristas ou passageiros sejam jogados para fora do carro -- no caso de capotagem com o teto aberto.


Instalado na seção superior traseira da cabine, aciona-se automaticamente em direção à frente do carro no caso do ângulo de inclinação da carroceria se alterar de forma importante, sugerindo capotagem iminente.




Após o sensor detectar o movimento, a almofada infla em 0,08 segundo, ou seja, antes que o carro vire completamente. Avaliado em situações de risco com dummies (manequins de impacto), ele impediu que os bonecos fossem lançados para fora do carro em capotagem forçada. Ao mesmo tempo, também amorteceu impactos na cabeça evitando ferimentos graves ou que poderiam resultar em morte, além de reduzir lesões.


Para obter total eficiência, o sistema é mais complexo em comparação a outros tipos de airbags. A fim de garantir eficácia, o airbag está ligado a dois cabos laterais por colchetes que são guias para possibilitar que atue estavelmente.


O sistema estará disponível no início de 2019 e inicialmente deverá equipar dois modelos da Hyundai: o sedã de luxo Genesis e o suvinho Kona



 


 




  • Fonte: UOL CARROS /
  • Autor: REDAÇÃO /
  • Data: 06 março 2018
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS