Montadoras terão que investir 0,5% do faturamento em inovação

As montadoras terão que investir pelo menos 0,5% do faturamento em inovação tecnológica. A medida começa a valer já a partir de 2013, mas com percentual de 0,15%. Em 2014, o percentual sobe para 0,3%. A empresa que não investir, não terá desconto de IPI. Além disso, todos os fabricantes deverão reduzir o consumo médio em 12% até 2017.

Já em relação ao conteúdo local, o novo regime automotivo prevê aquisição mínima de peças brasileiras e do Mercosul. Haverá ainda o estabelecimento de uma proporção para partes e peças que forem adquiridas na região, a fim de garantir descontos de IPI.

Essa proporção será de 130% em 2013 e deverá atingir 100% em 2017. Os caminhões terão percentual maior. Gastos com engenharia no montante de 1% do faturamento garantirão até 1% de desconto no IPI, da mesma forma que 1,3% do faturamento em pesquisa e desenvolvimento vão dar direito a até 1% de desconto no IPI.

Consumo energético reduzido em 15% garante mais 1%, enquanto menos 18%, darão direito a menos 2% de IPI. As importadoras poderão trazer até 4.800 carros/ano por marca sem pagamento adicional de 30% de IPI. A validade vai até 2017.

As montadoras que desejam obter os incentivos do novo regime automotivo terão que atender três dos quatro itens exigidos pelo governo:

1) atividades fabris ou de infra-estrutura
2) pesquisa, desenvolvimento e inovação
3) engenharia, tecnologia industrial básica e capacitação de fornecedores
4) programa nacional de etiquetagem veicular

O novo regime automotivo deve ser anunciado hoje e mudará o perfil da indústria automobilística brasileira nos próximos cinco anos.

  • Fonte: Notícias Automotivas /
  • Autor: Notícias Automotivas /
  • Data: 21 setembro 2012
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS