Michelin expande fábrica no Rio de Janeiro e promete brigar no mercado brasileiro de pneus

Com um investimento de 300 milhões de euros, a Michelin expandiu seu complexo industrial de Itatiaia, no interior do Rio de Janeiro. A fábrica, que até então só produzia cabos e fios para pneus e compostos de alto desempenho para serem exportados, agora irá produzir pneus para carros de passeios e caminhonetes. A capacidade máxima é de 5 milhões de unidades anuais. A expansão também abriu 300 novos postos de trabalho e mais de 1.500 empregos indiretos. A nova linha será responsável pela produção do pneu "verde" Energy MX2. O composto foi desenvolvido de acordo com as especificidades das estradas brasileiras e Michelin está apostando na alta tecnologia usada em sua fabricação. O pneu tem baixa resistência ao rolamento, alta tecnologia em segurança, durabilidade e diminui o consumo de combustível dos veículos. De acordo com diretores da marca, o preço também chega competitivo para fazer frente à concorrência como Pirelli e Goodyear.

"Nossa fábrica será equipada com as mais modernas tecnologias e equipamentos do Grupo Michelin e onde trabalharão funcionários formados por nós no Brasil e em outras unidades ao redor do mundo", afirma Cesar Moñux, diretor da fábrica de pneus de passeio de Itatiaia.

Os 300 empregos foram preenchidos por pessoas que foram treinadas pela própria Michelin, que possui centros de capacitação em suas fábricas no mundo inteiro. Além de passarem pela escola de formação em Campo Grande e Itatiaia, os contratados fizeram intercâmbio no Canadá, Espanha, Romênia, França, Estados Unidos e Polônia.

O objetivo da fabricante francesa é principalmente atender a demanda no Brasil e dobrar a participação no mercado brasileiro - de 7% para 14%. Inicialmente, a instalação de Itatiaia produzirá pneus aros 14, 15, 16 e 17, sendo o aro 13 trazido da Colômbia. O mercado de reposição ainda é o forte da Michelin, mas outro objetivo incide em aumentar a participação no produto original e criar uma fidelidade com o cliente. A marca está em contato com várias fabricantes de automóveis como PSA Peugeot Citroën, GM, Fiat e Volkswagen para oferecer seus pneus em veículos 0 km. Paralelamente ao investimento industrial, a Michelin está acelerando a expansão de sua rede de distribuição. Segundo Marco Moretta, diretor comercial de pneus de automóveis da América do sul, atualmente a marca possui 350 revendedoras autorizadas e até 2016 a meta é dobrar esse número.

O investimento de 300 milhões de euros no Brasil faz parte do montante de um bilhão de euros investidos pela Michelin de 2006 a 2012, para aumentar sua capacidade de produção em pneus de carga e na fabricação da unidade de Campo Grande. “No segmento de pneus de carga e no segmento para veículos usados em minas e terraplanagem, somos o número um do mercado e continuamos a investir maciçamente para consolidar nossa posição e contribuir para o desenvolvimento do Brasil”, disse Jean-Phillipe Ollier, presidente do Grupo Michelin na América do Sul. “Nosso objetivo no país e em toda América do Sul é conquistar participação de mercado, oferecendo a nossos clientes mais segurança, mais desempenho e mais rentabilidade, graças a uma oferta de pneus e serviços de alto nível”, completa.

  • Fonte: MotorDream /
  • Autor: Raphael Panaro /
  • Data: 19 setembro 2012
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS