Land Rover agora tem câmbio de 8 marchas

Desde que o IPI subiu 30 pontos percentuais nós não repassamos o aumento que deveríamos para o consumidor”, explica Flávio Padovan, presidente das marcas Land-Rover e Jaguar. O executivo que acumula a função de presidente da Abeiva – Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos – também atribuiu a indefinição dos preços à questão das oscilações do dólar.A tendência é mundial nesse segmento: equipar os carros com câmbios mais eficientes de oito velocidades. E para não ficar fora dessa, a Land Rover incluiu a tecnologia no Range Rover Sport e Discovery 4. Só para constar, as concorrentes da marca inglesa, as alemãs Audi e BMW, já contam com modelos à venda no Brasil que utilizam uma transmissão com o mesmo número de marchas.

Principal novidade da linha, nos dois casos, a nova caixa vem acompanhada do motor 3.0 litro SDV6 Bi-Turbo Diesel, que ficou 11 cavalos mais potente, totalizando 256 cv aos 4.000 giros. Já o torque máximo é de 61 kgfm, disponíveis a 2.000 rotações. Mesmo recebendo mais potência, o bloco adaptado á transmissão, ficou mais econômico e, por consequência, reduziu os índices de emissão de poluentes, segundo a marca.Para provar que além de valentes e robustos, os grandões também podem mandar bem quando o assunto é agilidade, a Land Rover fez questão de divulgar os números de teste de aceleração. Com o novo conjunto, o Range Rover Sport e seus 2.500 quilos, podem chegar aos 100 km/h em apenas 8,9 segundos. Já o irmão maior, com capacidade para sete passageiros, o Discovery 4, leva 9,3 s para atingir a marca.Testar os dois utilitários na estrada e em situações radicais na terra. Esta foi a coerente proposta de teste da Land Rover. Partimos da capital de São Paulo rumo à cidade de Monte Mor, onde fica uma das 30 unidades do centro de experiências da Land Rover espalhadas pelo mundo. No longo trajeto guiando na estrada, uma característica nos dois veículos merece destaque: o baixo nível de ruído para um motor diesel. Mesmo em trechos em que foi possível chegar a 120 km/h, o silêncio permanecia na cabine. Além disso, mérito da nova transmissão é manter o motor em baixas rotações, contribuindo para o conforto acústico. A relação das marchas é curta até a sexta, sendo que as duas últimas atuam como sobremarcha. Aproveitei o trecho de estrada para testar um modo de condução um pouco mais esportivo, fazendo as trocas por meio de hastes atrás do volante, disponível tanto no range Rover Sport quanto no Discovery 4.

  • Fonte: Carsale /
  • Autor: Larissa Florêncio /
  • Data: 21 maio 2012
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS