HONDA FIT FICA MAIS EQUIPADO E URBANO PARA SE DESCOLAR DO WR-V

A Honda lança nesta quinta-feira (14) o facelift de meia-vida para a atual geração do Fit. O monovolume ganhará visual levemente retocado -- e próprio, sem conexão com os modelos americano e europeu -- e novos equipamentos.

Objetivo é deixá-lo mais urbano, esportivo e conectado, para descolá-lo um pouco mais da sombra do coirmão WR-V (cada vez mais o encarregado de ser o carro "valente" da marca, capaz de aguentar o tranco em regiões mais distantes das grandes metrópoles brasileiras).

Preços da linha 2018 ficarão entre R$ 58.700 e R$ 82.190. Confira a lista completa de versões e etiquetas:

+Fit DX manual -- R$ 58.700
+Fit Personal CVT -- R$ 68.700 *
+Fit LX - CVT -- R$ 70.100
+Fit EX - CVT -- R$ 75.600
+Fit EXL - CVT -- R$ 80.900
*Versão especial para PCD

Não haverá opcionais. Pinturas metálicas (prata, cinza e a estreante azul Boreal) custam R$ 990, enquanto a opção perolizada branco Cristal sai por R$ 1.290.

O que muda (ou não):

A fim de reposicionar a identidade visual do Fit nacional, a equipe de design da Honda local recebeu aval da matriz para esticar os dois para-choques. O dianteiro foi aumentado em 2 cm e o traseiro, em 8 cm. De quebra, a marca espera resolver o antigo problema de se amassar a tampa do porta-malas em qualquer "encostão" dado pelos clientes.

Formas dos faróis e da grade frontal não mudaram, mas esta última recebeu novas divisórias no miolo, incluindo uma barra em preto brilhante mais larga e proeminente, ao estilo do Civic. Recortes dos para-choques também foram redesenhados.

Alterações são sutis quando vistas de longe, mas de perto é possível perceber que o carro está mais "bicudo" e ligeiramente esportivo. Consequentemente o comprimento cresceu quase 10 cm, para 4,09 metros, embora as demais dimensões sigam intactas (2,53 m de entre-eixos, 1,69 m de largura, 1,53 m de altura e 363 litros de volume no porta-malas).

Conjunto mecânico continua quase inalterado. Motor é o mesmo 1.5 4-cilindros flex com 16 válvulas e comando variável de admissão, capaz de render 115/116 cv (gasolina/etanol) e 15,2/15,3 kgfm. Câmbio é manual de cinco marchas na versão de entrada e automático tipo CVT nas demais, agora com simulação de sete marchas nas de topo EX e EXL.

Outra modificação foi feita à caixa de direção elétrica, a fim de deixá-la mais firme e precisa.

O que cada versão tem

Só que a grande novidade do Fit 2018 está, mesmo, no acréscimo de pacote eletrônico chamado VSA, munido de controles de estabilidade e tração, assistentes de subida em rampas e à frenagem emergencial, alerta de frenagem emergencial (o pisca-alerta é acionado automaticamente) e auxílio ao contraesterço em caso de derrapagem. Ele estará disponível em todas as versões.

Fora tal pacote o Fit DX traz de série: lanternas traseiras com guia em LED; direção elétrica; chave canivete com abertura remota das portas; travas elétricas; vidros elétricos com função um-toque para o motorista; retrovisores elétricos; ar-condicionado manual; rodas de liga leve aro 15; sistema de áudio com rádio, Bluetooth, dois alto-falantes e pequena tela monocromática; pontos de fixação para cadeirinhas Isofix na segunda fileira de assentos; encostos de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todas as posições.

A versão LX acrescenta: câmbio CVT; faróis de neblina; rodas de liga leve com novo desenho; volante com controles para o sistema de áudio; e sistema especial de rebatimento do banco traseiro.
Já a EX CVT vem de fábrica com: luzes diurnas em LED (posicionadas ao lado dos faróis de neblina); airbags laterais; repetidores de seta nos retrovisores externos; rodas aro 16; vidro do copiloto com função um-toque; volante revestido em couro; controle de cruzeiro; câmera de ré; transmissão com simulação de sete velocidades e aletas para trocas atrás do volante; ar-condicionado digital com tela sensível ao toque; sistema de som com visor tátil de 5 polegadas e quatro alto-falantes; apoio de braço para o motorista.

Por fim, o Fit EXL inclui: faróis integralmente em LED com luzes diurnas integradas; airbags de cortina; retrovisores com rebatimento elétrico; câmera de ré com três pontos de vista; bancos revestidos em couro; central multimídia com tela tátil de 7 polegadas, projeção de celulares (Android ou Apple) e navegação GPS; sistema de áudio com dois tweeters adicionais.

Para as chamadas PCD (Pessoa com Deficiência) será oferecida a versão Personal, baseada na DX mas já dotada de: câmbio CVT; controle de cruzeiro; e rebatimento especial da fileira traseira.

  • Fonte: UOL CARROS /
  • Autor: REDAÇÃO /
  • Data: 15 setembro 2017
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS