FIAT REVELA O NOME DE SEU NOVO HATCH: ARGO

O mistério acabou. Depois de muito suspense a Fiat revela o nome definitivo do seu novo hatch. Conhecido até então como Projeto X6H, o substituto de Punto, Bravo e das versões mais caras do Palio será batizado como Argo. O nome segue o padrão simples adotado pela marca em seus últimos lançamentos: duas sílabas e quatro letras, assim como Toro e Mobi. Seu lançamento está marcado para junho, enquanto a versão sedã (ainda sem nome divulgado e chamado de X6S) estreia em novembro desse ano.

O Argo tem a missão de cortar custos de produção e aumentar o rendimento financeiro da marca no segmento de hatches. Está aqui o motivo de ele matar de uma só vez três modelos. “Substituiremos três carros de baixas vendas por um único modelo, que vai atender a faixa dos R$ 50 mil a R$ 70 mil”, explica uma fonte da fábrica.

1.0, 1.3 e 1.8

Por atingir uma fatia tão vasta, o novo Fiat tinha que ter também uma ampla opção de motores e câmbios. Apesar de certa resistência da Engenharia, a Fiat decidiu que a versão de entrada do Argo (aquela que mata o Palio top) será equipada com motor 1.0 de 3 cilindros e câmbio manual de cinco marchas, conjunto que fez sua estreia no Uno 2017. Também vem do Uno, o motor 1.3 de até 109 cv e 14,2 mkgf de torque que será oferecido na versão intermediária – e que a Fiat acredita será a mais vendida. Nessa configuração o modelo vem com transmissão automatizada.

E mantendo a tradição da marca, o hatch contará com uma versão esportiva com motor 1.8 E.torQ EVO de até 139 cv e 19,3 quilos de torque associado ao câmbio automático de seis marchas, presente na picape Toro. Além do desenho externo e interno com adereços esportivos, a Fiat vai apostar em mimos apelidados como Speedometer e Tachometer para convencer o consumidor. Futuramente o Argo poderá contar com motor turbo. Betim já desenvolve o 1.3 Firefly turbo. Neste caso, o cabeçote passará a ter 16 válvulas. A estimativa é que a potência final fique na casa dos 160cv.

Embora a Fiat brasileira tente passar que o design do Argo é local, não dá para negar que ele foi inspirado no novo Tipo europeu. A lateral, por exemplo, será praticamente idêntica e com mesma estampagem. Aqui, a única exceção é a porta traseira que não invade a coluna C. A versão Sporting exibirá molduras nos para-lamas.

Na dianteira, a semelhança com o Tipo europeu prossegue. Em apenas quatro elementos o nacional se difere. 1) para-choque; 2) farol; 3) formato colmeia da grade; 4) capô que prossegue até a grade. Na versão Sporting ele recebe ainda faróis com máscara negra e grade superior e inferior pintadas de preto. Os faróis auxiliares são integrados à grade inferior.

Na traseira, a mudança mais marcante em relação ao Tipo europeu está na tampa do porta-malas que será mais horizontalizada. A placa de identificação foi deslocada para o para-choque. No modelo nacional, a peça também ganha novo desenho e refletores em formato de bumerangue. As lanternas também têm formato levemente diferente: no Argo elas são mais finas na parte que se estende para a tampa do porta-malas. Na parte inferior da lanterna, há um vinco na tampa fazendo jogo com as luzes de posição. Apesar de tantas semelhanças a filial decidiu não adotar o nome Tipo no modelo nacional. “Tipo está associado à outra época, outra fase da empresa”, diz um interlocutor. “Temos que olhar para o futuro.”

Por dentro as similaridades diminuem. Embora o console seja parecido com o do Tipo europeu, o painel do Argo é exclusivo. O destaque vai para as três saídas de ar circulares no meio da peça e a tela de 7 polegadas touchscreen do sistema multimídia. O volante vem do crossover italiano 500X (com algumas alterações). Como na Toro, o cluster contará com uma pequena tela por onde serão exibidos dados como velocidade, estação de rádio, etc. Na Sporting haverá a grafia do Speedometer e do Tachometer no velocímetro e no conta-giros, respectivamente.

3 PRODUTOS

O Argo estreia uma nova plataforma na Fiat. “Não será a que usamos em Pernambuco [Toro, Renegade, Compass]. É uma nova arquitetura, inédita em todo o grupo.” O hatch será produzido em Betim (MG), enquanto a versão sedã será feita na fábrica de Córdoba (Argentina). E além da dupla, a nova plataforma será usada em mais um produto: o futuro SUV compacto. “Esse SUV, que será feito em Minas, não virá com o logotipo da Fiat. Será um Jeep. Vamos aproveitar o forte nome da marca nesse segmento”, antecipa outra fonte. “O SUV é para o final de 2018, começo de 2019”.

  • Fonte: CAR AND DRIVER /
  • Autor: REDAÇÃO /
  • Data: 20 abril 2017
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS