Fabricantes europeus questionam o avanço dos coreanos no mercado

A Kia aumentou muito (68%) as importações da Coreia após o acordo de livre comércio, que reduziu as taxas para até 4%. A partir de 2015 será taxa zero.

Hyundai e Kia representam 50% das importações europeias da Coreia do Sul, enquanto Chevrolet, Renault e Ssangyong respondem pelo restante. Aliás, os modelos menos expressivos da Hyundai-Kia são exatamente os importados, tais como Picanto e Santa Fé, por exemplo.

O avanço coreano na Europa se dá através do sucesso dos novos produtos feitos no continente, tais como Cee´d e i30, que além de design atraente (e consiste no caso da Kia), agora apresentam qualidade e características de produtos europeus. A Chevrolet, por exemplo, tem 99% da gama importada da Coreia do Sul. Apenas o Camaro é importado do Canadá.

Por isso, enquanto as marcas locais perderam 7,2% do mercado, a Hyundai ganhou 9,6% e a Kia avançou nada menos que 20,5% nos últimos meses. Por fim, os fabricantes de carros tradicionais na Europa perderam espaço também para marcas Premium.

Audi, BMW e MINI, por exemplo, estão colocando produtos em segmentos onde o consumidor estava habituado a comprar carros comuns. A1, A3, Série 1, Cooper, One, entre outros, arrebataram muitos clientes de marcas tradicionais.

Enfim, parece que a choradeira não deve parar enquanto a crise (a verdadeira culpada) está minando os negócios dos fabricantes mais despreparados para enfrentar uma queda geral nas vendas.

  • Fonte: Notícias Automotivas /
  • Autor: Notícias Automotivas /
  • Data: 22 novembro 2012
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS