DICIONÁRIO DE SIGLAS

É comum fabricantes de automóveis criarem siglas (por exemplo, ABS) ou acrônimos (como o padrão "Isofix") para representar equipamentos e/ou tecnologias que surgem, principalmente, durante as etapas de projeto, desenvolvimento e construção de um carro. Muitas vezes, porém, este código -- a chamada "sopa de letrinhas" -- sai das pranchetas e invade a propaganda do carro, já na loja. Assim, o comprador corre o risco de colocar o automóvel na garagem sem saber exatamente o que é aquele recurso ou para que serve a função com nome cifrado.

Dica: para encontrar uma sigla rapidamente, clique CTRL+F e digite-a no campo de busca que vai se abrir no navegador.

A-B

ABC
ACTIVE BODY CONTROL: suspensão ativa desenvolvidA pela Mercedes-Benz com amortecedores hidráulicos de alta pressão, sensores e microprocessadores para ajuste da carroceria ao tipo de piso.

ABD, EDL ou XDS
AUTOMATIC BRAKING DIFFERENTIAL; ELECTRONIC DIFFERENCIAL LOCK; CROSS DIFERENTIAL SYSTEM: controle do bloqueio de diferencial, que pode redirecionar a tração de rodas que estão patinando para uma ou mais rodas com aderência, evitando que o carro saia de controle (em curvas) ou atole (no off-road).

ABS
ANTILOCK BRAKING SYSTEM: é o sistema antitravamento de freios obrigatório no Brasil desde janeiro deste ano. Evita, na frenagem brusca, que as rodas se travem, o carro escorregue e o motorista perca o controle.

ACE ou ARM
ACTIVE CORNERING ENHANCEMENT; ACTIVE ROLL MITIGATION: sistema eletrônico que usa intervenção dos freios ABS para regular a velocidade de cada roda e assim acertar o posicionamento do veículo sobre o asfalto, evitando, por exemplo, perda brusca de direção e capotamentos.

AC ou A/C
AR-CONDICIONADO: já é bastante conhecida, até por não ser um equipamento exclusivo do setor automotivo.

ACC
ADAPTIVE CRUISE CONTROL: é o "piloto automático" ou controle de cruzeiro adaptativo. Sistema difundido em carros premium, controla automaticamente velocidade e distância para outros veículos de acordo com a definição do motorista, que não precisa acelerar ou frear, apenas usar o volante.

AMG
AUFRECHT MELCHER GROSSASPACH: sigla da divisão de preparação da Mercedes-Benz, que já foi independente e chegou a modificar modelos de outras marcas. Fundada em 1967, em Affalterbach (cidade próxima a Stuttgart, Alemanha), tira seu nome dos criadores, o ex-engenheiro da Mercedes Hans-Werner Aufrecht e o sócio Erhard Melcher, além da cidade-natal de Aufrecht, a pequena Grossaspach.

APS
ACOUSTIC PARKING SYSTEM: é o famoso "sensor de estacionamento", que usa sistema de ultrassom, além de bipes e alarmes para auxiliar o motorista na marcha à ré em manobras e balizas.

ARS
ADVANCED RESTRAINT SYSTEMS: tecnologia que monitora a situação da cabine (peso e/ou altura do ocupante, posição do assento, uso de cinto de segurança e desaceleração do veículo) de modo a regular o acionamento de equipamentos de segurança (como airbags) em caso de acidente.

ASR
ANTI SLIP REGULATOR: identifica o sistema que impede que as rodas da tração escorreguem (derrapem), auxiliando o condutor em acelerações ou em casos de emergência. É uma forma de controle de tração.

ASF; SF
AUDI SPACE FRAME; SPACE FRAME: trata-se da estrutura de alumínio de alta resistência -- que não é 100% pura, já que pode ter painéis integrados -- desenvolvida pela fabricante alemã, mas cujos moldes já estão difundidos. Permite fazer carros maiores, com carga maior de segurança, mas com peso menor (mais eficientes).

A/T e M/T
AUTOMATIC TRANSMISSION; MANUAL TRANSMISSION: jargão de catálogos e propagandas de carros, são as iniciais em inglês do sistema de transmissão integrados a câmbios automático (AT) ou manual (MT), em inglês.

ATV
ALL-TERRAIN VEHICLE: termo utilizado para descrever pequenos veículos motorizados, com três ou quatro rodas, projetados para uso off-road. Os quadriciclos também são chamados de "quadbikes" ou apenas "quads".

AWD, 4WD, FWD e RWD
ALL WHEEL DRIVE; FOUR WHEEL DRIVE; FRONT WHEEL DRIVE; REAR WHEEL DRIVE: expressões usadas pelas montadoras para identificar o eixo de tração do automóvel. AWD e 4WD significam que o veículo tem tração nas quatro rodas; FWD é para carros com tração dianteira; RWD, para modelos com tração traseira.

BA, BAS, EBA ou AFU
(EMERGENCY) BRAKE ASSIST (SYSTEM); ASSISTANCE AU FREINAGE D'URGENCE: também ligado ao ABS, aumenta a pressão sobre os freios em frenagens de emergência e pode até brecar o veículo automaticamente e com mais intensidade. É acionado, por exemplo, quando o sistema percebe que o tempo de reação do motorista em relação aos pedais de acelerador e freio saiu do padrão.

C-D

CDI ou CRDI
COMMON RAIL DIESEL INJECTION: nome comercial dado pela Mercedes aos motores a diesel com sistema de injeção direta. Neste caso, a pressão é gerada sempre de forma igual, independentemente da sequência de cilindros, e permanece constantemente disponível (motores a diesel convencionais precisam criar pressões diferentes para cada cilindro).

CV
CAVALO-VAPOR: é a unidade de medida de potência mais conhecida pelos brasileiros. Nasceu quando máquinas a vapor assumiram o lugar do cavalo na tração de moinhos, para levantar certa quantidade de água até determinada altura em um minuto -- daí a expressão "Essa máquina tem quantos cavalos de força?" O hp (força-de-cavalo, em inglês) tem origem parecida, mas valores diferentes.

CVT
CONTINUOUSLY VARIABLE TRANSMISSION: representa o conjunto de transmissão capaz de simular uma quantidade infinita de relações de marcha, uma vez que funciona com sistema de duas polias de tamanhos diferentes interligadas por uma correia metálica em vez de engrenagens de tamanho fixo.

DLA
DYNAMIC LIGHT ASSIST: sistema de faróis dinâmicos ou inteligentes, que alternam o facho dos faróis de acordo com a direção do carro ou situações de trânsito. É possível apontar a luz para o lado da curva ou fazer a comutação entre farol alto e baixo, tudo automaticamente.

DIN
DEUTSCHE INSTITUT FÜR NORMUNG: a norma internacional ISO 7736, de 1984, definiu o tamanho padrão das famosas "frentes" de rádio (formalmente, unidades frontais de áudio). Por ter sido criada pela instituição alemã -- equivalente ao brasileiro Inmetro, daí a sigla DIN. O padrão "single DIN" equivale a 180x50 mm, enquanto o "double DIN" vai a 180x100 mm.

DOHC
DOUBLE OVERHEAD CAMSHAFT: sigla em inglês para Duplo Comando de Válvulas no Cabeçote. Trata-se de um sistema que usa dois comandos para controlar a abertura e o fechamento das válvulas no interior de um motor a combustão.

DRL
DAYTIME RUNNING LIGHTS: sistema de "luzes de circulação diurna", na tradução literal para o português. Com LEDs, ou mesmo com luzes halógenas, tornou-se padrão para veículos na Europa por melhorar a visibilidade de carros por outros motoristas e por pedestres, inclusive durante o dia.

DSG
DIREKT-SCHALT-GETRIEBE: caixa de câmbio com sistema de dupla embreagem e acionamento eletrônico (direto) -- há uma para marchas ímpares (1ª, 3ª e 5ª...), outra para as pares (2ª, 4ª, 6ª). Criada pelo grupo Volkswagen a partir de tecnologia da Porsche, elimina a necessidade de pedal de embreagem (de câmbios manuais) e também do conversor de torque (como nos automáticos).

E

E85
ETHANOL 85: solução criada nos Estados Unidos, é o combustível constituído por gasolina misturada a até 85% de etanol. No Brasil, por este padrão, a gasolina seria E25 (contém 25% de mistura de etanol), enquanto o próprio etanol seria E100.

EAS, ESC e ESP
ELECTRONIC ACTUATION SYSTEM; ELECTRONIC STABILITY CONTROL; ELECTRONIC STABILITY PROGRAM: siglas diferentes, mesmo sistema eletrônico, que se vale do controle de travamento dos freios (ABS) para manter a mesma carga de tração e sentido em todas as rodas, de modo a deixar o carro estável.

EBD
ELECTRONIC BRAKEFORCE DISTRIBUITION: sistema diretamente ligado aos freios com ABS, varia automaticamente a quantidade de força aplicada a cada um dos freios (geralmente com mais carga para as rodas com maior tração) para ampliar o poder de frenagem.

EFI
ELECTRONIC FUEL INJECTION: sistema de injeção eletrônica de combustível, que substituiu o carburador entre os anos 1980 e 1990. Como está popularizado, acaba sendo um termo em desuso.

ECU
ENGINE CONTROL UNIT: significa Unidade de Controle do Motor. É o "cérebro" (software) que comanda praticamente toda a atividade do motor (mistura de ar e combustível, percentual de aceleração etc), através de dados de uma infinidade de sensores.

EV
ELECTRIC VEHICLE: veículo elétrico.

G a L

GNV
GÁS NATURAL VEICULAR: combustível fóssil gasoso; capaz de alimentar um motor a combustão. É mais limpo, menos contaminado e possui mais incentivos (menos imposto) que os derivados de petróleo, mas esbarram na falta de adaptação dos motores (na maior parte da frota) e na perda de potência.

GPS
GLOBAL POSITIONING SYSTEM: o sistema de posicionamento global, do inglês, une sinais de satélite e rádio para fornecer a um aparelho receptor sua posição relativa, bem como informações adicionais (horário, condições climáticas etc). Foi criado em 1963.

HDC
HILL DESCENT CONTROL: sistema que se vale do ABS para acionar automaticamente os freios em terrenos acidentados (declives, por exemplo), evitando que rodas patinem e o carro escorregue.

HID
HIGH INTENSITY DISCHARGE: faróis de forte capacidade de descarga e geração de luminosidade. É o caso dos conhecidos faróis de xenônio.

HP
HORSEPOWER: historicamente, a expressão nasceu a partir da capacidade de o cavalo transportar uma carga de 45 kg por 330 metros em cerca de 1 minuto. A fórmula tornou-se um padrão de potência, assemelhado ao "cv", mas valores finais diferentes (1 hp é o mesmo que 1,01387 cv).

HUD
HEAD-UP DISPLAY: Instrumento desenvolvido inicialmente para utilização em aviões de combate, ainda nos anos 1960, o HUD projeta informações do painel de instrumentos no para-brisa (ou em uma tela à frente deste), para que o condutor não tenha de desviar os olhos da área principal da pista. No Brasil, existe em carros como o Chevrolet Camaro, Peugeot 3008, modelos da Audi e BMW, por exemplo.

IPVA
IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES: é o imposto mais conhecido por quem tem um carro. Pago anualmente, tem como base de cálculo o valor venal de cada veículo. Apenas Estados e o DF podem instituí-lo.

IPI
IMPOSTO SOBRE PRODUTO INDUSTRIALIZADO: não é um imposto apenas do setor automotivo, mas tem forte influência sobre o preço do carro. É instituído apenas pela União (ou seja, não pode ser cobrado pelo Estado).

ISOFIX
Isofix é um acrônimo para o padrão internacional para pontos de fixação de assentos infantis. Criado em 1997 pela Volkswagen, trata-se do sistema de ganchos que, em vez de estarem soldados à lataria (algo que pode se romper em acidentes), fazem parte da estrutura do carro.

KGFM
QUILOGRAMA-FORÇA METRO:é o resultado da multiplicação da força exercida pela massa de um quilograma (kgf) aplicada a uma distância (metro). Na prática, define o quanto de força (torque) o motor entrega ao conjunto de tração.

LCD
LIQUID CRYSTAL DISPLAY: sigla para visor de cristal líquido, em inglês. Trata-se de um painel digital que exibe informações de texto, imagens e até vídeos, do computador de bordo a telas de sistemas de entretenimento.

LED
LIGHT EMITTING DIODE: conhecido por sua sigla em inglês, o diodo emissor de luz é basicamente uma fonte de luz em si. Em carros, consome menos energia da bateria que lâmpadas halógenas ou alimentadas por gás xenônio, produzindo luz de modo mais dinâmico. Ou seja: amplia a segurança e reduz o custo de produção.

M a S

MPI ou MPFI
MULTIPOINT INJECTION; MULTIPOINT FUEL INJECTION: conceito de injeção eletrônica multiponto, ou seja, que adiciona combustível ao cilindro por mais de um bico injetor.

MPV
MULTI PURPOSE VEHICLE: veículo multiproposta ou multivan. Pode oferecer tamanho suficiente para transporte de pessoas ou de carga.

OHV
OVERHEAD VALVE: representa o comando de válvulas instalado no bloco de um motor a combustão. Por ser mais antiga e ultrapassada, atualmente poucos motores usam esta tecnologia.

PAS ou SAS
POWER ASSISTED STEERING; STEERING ASSIST SYSTEM: sigla que algumas fabricantes utilizam para identificar o sistema de assistência à direção, com atuadores de ação hidráulica e/ou elétrica, que adicionam energia ao mecanismo de direção para que o motorista faça menos esforço para girar o volante.

RECALL
Não é uma sigla, mas um termo em inglês que pode ser lido como "chamar de volta". É a solicitação da montadora para que um carro ou uma linha seja retornada à fábrica (ou à loja) para verificação e/ou correção de problemas que podem reduzir a segurança.

RPM
ROTAÇÕES POR MINUTO: medido pelo conta-giros, trata-se de um número que representa a quantidade de voltas realizadas pelo virabrequim de um motor a combustão em um minuto.

SAV
SPORT ACTIVITY VEHICLE: categoria criada pela BMW (vista como marketing por alguns) -- a sigla mistura o termo SUV (veículos utilitário esportivo) à palavra "atividade" em inglês, designando um veículo amplo, mas ainda assim esportivo.

SOHC
SINGLE OVERHEAD CAMSHAFT: sigla em inglês que representa um motor com comando único de válvulas no cabeçote. Ultrapassado em relação a motores DOHC, um propulsor SOHC utiliza apenas um comando de válvulas para controlar a abertura e o fechamento das válvulas de admissão e escape.

SRS
SUPPLEMENTAL RESTRAINT SYSTEM: o "sistema de restrição suplementar" indica o uso de airbags, bolsas de ar que complementam a função do cinto de segurança -- evitar que o ocupante se desloque e colida contra estruturas do carro após o impacto.

SUV
SPORT UTILITY VEHICLE: em moda no Brasil nos últimos anos, os utilitários esportivos são modelos que mesclam diferentes recursos, formas e funções: tem amplo espaço para passageiros e carga e maior capacidade de deslocamento, podendo até ter sistema de tração integral, típica de modelos off-road.

SW
STATION WAGON: quase extintas no Brasil e no mundo, as station wagons ganharam o apelido de perua no Brasil. Palio Weekend e SpaceFox são os únicos modelos remanescentes da categoria básica; acima destas, temos modelos importados premium, como Voplkswagen Passat Variant e Audi A4 Avant. Perderam espaço para os SUVs.

T a Z

TCS
TRACTION CONTROL SYSTEM: siglas utilizada para identificar o controle de tração do automóvel, que serve para corrigir possíveis "patinadas" dos pneus -- na prática, sensores acionam o freio apenas da roda que perdeu aderência.

TDI
TURBODIESEL DIRECT INJECTION: sigla da Volkswagen para identificar seus motores turbodiesel de injeção direta. Tem funcionamento parecido com o "CDI", da Mercedes-Benz.

TFSI
TURBO FUEL STRATIFIED INJECTION: sistema de injeção de gasolina feito diretamente na câmara de combustão da Volkswagen com pressão (estratificação). A tecnologia aumenta consideravelmente a eficiência da queima do combustível, com aumento da força e redução do consumo.

TPM
TIRE PRESSURE MONITORING: parece outra coisa, mas no cenário automotivo é o monitoramento da pressão dos pneus, desenvolvido como medida de segurança e já utilizado por automóveis de luxo.

VVT, VVT-i, VTEC
VARIABLE VALVE TIMING: sistema que melhoram a eficiência de um motor a combustão. Seu funcionamento acrescenta uma espécie de "segundo estágio" ao ciclo da rotação do propulsor e sincronismo de suas válvulas de admissão e exaustão, melhorando a mistura entre ar e combustível e, consequentemente, aumentando a potência e o torque do automóvel e reduzindo o consumo.

ZEV
ZERO EMISSION VEHICLE: veículo de emissão zero de gases poluentes, categoria que envolve diferentes tipos de carros elétricos ou de propulsão alternativa.

  • Fonte: UOL CARROS /
  • Autor: REDAÇÃO /
  • Data: 20 abril 2016
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS