DEFENDER MORRE APÓS 68 ANOS COMO ÍCONE 4X4

A montagem da última unidade em Solihull (Reino Unido) foi acompanhada nesta sexta-feira (29) pela imprensa local e por cerca de 700 funcionários. Ela faz parte da série especial Defender 90 Heritage Soft Top, que conta com alguns elementos originais do modelo feito em 1948, no mesmo complexo: presilha da capota e alguns suportes.

Colecionadores de plantão podem tirar o cavalo da chuva: o destino da última unidade será o museu oficial da Jaguar Land Rover, também na Inglaterra, onde ficará exposta para visitação.

Nostáligicos também podem acalmar os nervos: UOL Carros já ouviu dos executivos da marca, mais de uma vez, que o Defender morre porque sua proposta está ultrapassada, mas que o substituto deve chegar em breve. Ele terá visual próximo ao de conceitos já mostrados, mas versatilidade para encarar tanto SUVs pequenos e médios, quanto picapes médias (Ford Ranger foi uma dos modelos citados nominalmente) em mercados globais.

Ícone da lama
De 1948 a 2016, a fabricante contabilizou mais de 2 milhões de Defender fabricados. O primeiro, vendido no Salão de Amsterdã de 48, saiu por 450 libras (cerca de R$ 2.500). O exemplar de nº 2.000.000, por sua vez, custou 400.000 libras (R$ 2,3 milhões). A diferença de preços evidencia o sucesso e a importância global do modelo, que virou referência de valentia entre os utilitários.

Agora, 12 metalúrgicos de Solihull cuidarão de um centro de restauração para unidades antigas. A montadora lançará ainda site oficial onde donos de Defender poderão compartilhar vídeos e imagens de expedições feitas com o modelo ao redor do planeta.

  • Fonte: UOL CARROS /
  • Autor: REDAÇÃO /
  • Data: 29 janeiro 2016
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS