DE VISUAL RENOVADO, RENAULT CLIO USA A MATEMÁTICA PARA SEDUZIR PÚBLICO JOVEM

A mais recente, com o face-lift promovido no final do ano passado, é a de atrair o público jovem. O novo visual aproxima o Clio II da atual versão europeia, de quarta geração. Além de ostentar a nova identidade da marca na Europa, passou a oferecer adereços de personalização.

Mas o apelo ao público mais novo – época em que se costuma ter a carteira menos recheada – extrapola o adorno de faixas e desenhos. Há também o preço, a partir de R$ 24.290 no modelo duas portas, o baixo consumo de combustível, constatado pelo InMetro, e ainda o motor mais potente entre os modelos de entrada no mercado.O face-lift no Clio é estratégico para a pretensão da Renault de ser tornar a quarta maior do mercado nacional. O compacto tem o objetivo de encorpar o volume de vendas, ao lado do utilitário Duster e do hatch Sandero. Tanto que, na época do lançamento, o plano da marca era alcançar 7,5% de participação no mercado nacional – um ponto percentual acima do que possuía. A média de vendas do Clio até aumentou.

No ano passado foi em torno de 1.400 unidades mensais e, no acumulado de 2013, o número fica perto de 1.800 emplacamentos por mês – alta de 28,5%. Ainda assim, o compacto, fabricado em Santa Isabel, na Argentina, fica bem abaixo de dois dos principais rivais – o Fiat Uno Mille e o Ford Ka, com médias de 6.200 e 3.500 unidades, respectivamente.

A Renault tem na economia de combustível um forte argumento de vendas do Clio. A marca atualizou o motor do compacto e para marca a mudança rebatizou o propulsor Hi-Flex 1.0 16V para Hi-Power 1.0 16V. A taxa de compressão foi elevada e a potência passsou de 77 cv para 80 cv, com torque de 10,5 kgfm a 4.250 rpm quando abastecido com etanol.Com gasolina no tanque, a potência fica nos anteriores 77 cv, com torque de 10,1 kgfm. No programa brasileiro de etiquetagem de veículos, do Instituto Nacional de Metrologia, o consumo ficou em 9,2 km/l com etanol e 13,6 km/l com gasolina em ciclo misto, números que garantiram classificação “A” no geral e no segmento.

O design evoluiu bastante em relação ao modelo anterior, graças à mais recente filosofia de estilo da Renault, que o compacto inaugura no Brasil. Inspirada no Clio IV da Europa, o modelo brasileiro tem na frente as mudanças de maior destaque.

  • Fonte: NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS /
  • Autor: EBER /
  • Data: 03 maio 2013
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS