CHECKLIST EVITA PROBLEMAS NA ESTRADA

A primeira coisa a ser verificada deve ser o estado dos pneus, principalmente em época de chuvas. Eles são vistoriados na estrada em relação ao desgaste. Há pequenas marcas nos sulcos que delimitam o desgaste máximo dos pneus, indicando que está na hora de serem trocados”, explica o engenheiro. Segundo ele, quando o componente chega a este ponto, não terá aderência em caso de chuva forte, piso escorregadio, o que tornará a frenagem mais difícil. Portanto, se os pneus estiverem desgastados, devem ser trocados antes da viagem. Venosa lembra que não se deve esquecer-se do estepe. “Muita gente acha que o estepe pode ficar careca. Numa vistoria de estrada, o motorista pode ser multado se o estepe estiver desgastado demais. Ele também deve lembrar-se de ver se o macaco está em ordem e se a chave de roda está no carro.”

Todas as lâmpadas de iluminação externa – faróis, lanternas, setas, luz da placa – devem ser verificadas e estar funcionando. Outro ponto importante é checar se o extintor de incêndio está dentro do prazo de validade. Os limpadores de para-brisa devem ter as palhetas em ordem.

Segundo Venosa, por sua experiência, os três defeitos que mais ocorrem na estrada são quebra de correia, problemas no sistema de arrefecimento, como vazamento de água por trincas na mangueira, e pneus que estouram por desgaste.

Portanto, uma boa revisão para viagem engloba pneus, freios, sistema de direção, suspensão, parte elétrica, manutenção preventiva – troca de óleo, filtros – e verificação de vazamentos. No motor, devem ser checadas as correias (tempo de uso e sinais de ressecamento e trincas), mangueiras (verificar vazamentos, endurecimentos, trincas); fazer a regulagem e observar se há vazamentos de óleo.

Em relação aos freios, é importante verificar desgaste das pastilhas, lonas de freio, vazamento de fluidos e o sistema hidráulico. No sistema de direção, é recomendável analisar se há folgas, componentes com desgastes e checar o sistema hidráulico (no caso de a direção ser hidráulica).

Na suspensão, a orientação é verificar amortecedores, ver se há vazamentos, desgaste das buchas e articulações. Além disso, todo o sistema elétrico do automóvel deve estar funcionando adequadamente, principalmente a iluminação.

Outra dica de Venosa é em relação à bomba de combustível, uma bomba elétrica que fica dentro do tanque de combustível. Com durabilidade média de 80 mil a 100 mil quilômetros, ela deve ser testada toda vez que for feita a revisão. “Esse é um dos poucos itens elétricos que deixam o carro impossibilitado de rodar”, avisa. Segundo o engenheiro, se o filtro de combustível for trocado regularmente (em média a cada 15 mil quilômetros para carros flexíveis e 20 mil quilômetros para os modelos a gasolina), a bomba de combustível terá durabilidade maior.

  • Fonte: NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS /
  • Autor: SUELI OSÓRIO /
  • Data: 18 maro 2013
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS