BMW I3 É LANÇADO OFICIALMENTE

O i3 é o primeiro produto a integrar esse novo portifólio. Ele será produzido em Leipzig, na Alemanha, onde grande parte da fábrica foi adaptada para otimizar recursos e utilizar energias limpas, como a eólica. "Tivemos que implementar um conceito novo em toda a cadeia do produto", conta Carlos Côrtes, gerente de vendas e marketing da nova submarca a BMW no Brasil. O executivo confirma que depois do lançamento na Europa nos próximos meses, o i3 deverá desembarcar no Brasil no segundo semestre de 2014.
"Acreditamos ter um produto completamente novo no mercado, pois trata-se de um elétrico premium, construído completamente de forma sustentável", disse Adrian Van Hooydonk. O executivo afirmou que grande parte do material usado no acamento do interior do i3 é reciclado ou fabricado com fibras naturais.Motor e autonomia
Conforme a marca havia antecipado, o carrinho conta com um sistema de propulsão chamado eDrive, composto por um motor elétrico alimentado por bateria de ion-lítio. Ele é capaz de gerar 170 cv de potência e tem autonomia para rodar até 160 quilômetros. Mas não só isso. A BMW oferece tambem uma varaiante do compacto que, em casos de emergência, poderá trazer também um motor dois-cilindros a combustão de 34 cv de potência - este serve para alimentar a bateria e atuar como uma espécie de extensor de autonomia, dando uma "sobrevida" de 128 km ao carro. Combinados, os dois propulsores terão condições de oferecer uma autonomia total de 300 quilômetros ao i3.
De acordo com a BMW, o hatch terá capacidade de acelerar de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos e alcançar a velocidade máxima de 150 km/h, graças ao seu baixo peso.Arquitetura e materiais
Para torná-lo um veículo extremamente leve, com apenas 1.195 kg de peso bruto, a marca investiu na ampla adoção de materiais como fibra de carbono e alumínio. Resistentes e de baixo peso, os materiais permitiram a exclusão da coluna B sem comprometer a estrutura do veículo. A arquitetura do carro, chamada LifeDrive, foi projetada em dois módulos. O superior, que contempla o habitáculo, utilizou um plástico reforçado com fibra de carbono, enquanto o módulo inferior, conhecido como Drive, e que corresponde a plataforma, foi feito com alumínio. Tudo para compensar o peso do conjunto da bateria e motor e garantir a perfeita distribuição na proporção de 50:50 do peso sobre eixos dianteiros e traseiros. "É a primeira vez que a fibra de carbono é usada em larga escala", afirmou Carlos Cortês.

  • Fonte: AUTO ESPORTE /
  • Autor: TEREZA CONSIGLIO, DE NOVA YORK /
  • Data: 29 julho 2013
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS