BMW 420I CABRIOLET

Quando as primeiras notícias sobre a Série 4 começaram a circular, ainda na fase em que essa família era segredo de fábrica, havia a impressão de que a BMW estava apenas reorganizando sua linha, adotando os nomes da Série 2 para as versões cupê e conversível da Série 1 e os da Série 4 para os mesmos derivados da Série 3. Agora vê-se que não é bem assim. As novas Séries 2 e 4 são famílias inteiras de veículos. A 2 com versões cupê, conversível, Active Tourer e GranTourer. E a 4 não parou só na cupê. Já tem um GranCoupé e está ganhando a Cabriolet, que chega ao mercado brasileiro na versão 420i, ao preço de R$ 215 950.

Com essa estratégia, a BMW aumentou seu catálogo oferecendo alternativas capazes de atender a desejos mais específicos para tipos diferentes de consumidor. O 420i é um carro feito sob medida para aqueles que consideram espaço e conforto a bordo coisas mais importantes que desempenho esportivo.

Conversível de quatro lugares, o 420i é bem diferente de um Z4, por exemplo, que foi projetado para o
motorista e no máximo um acompanhante. O espaço traseiro do 420i não é dos maiores, mas acomoda dois adultos com conforto. O acesso à traseira é facilitado pelo deslizamento elétrico dos bancos dianteiros - que depois retornam à posição original. E não faltam recursos, como portacopos entre os assentos e saídas de ar-condicionado com ajuste independente de temperatura para os que viajam na parte de trás da cabine.

Outra particularidade do carro está no comportamento dinâmico. Apesar de ser um BMW e ter esportividade no sangue, pisar fundo não é prioridade a bordo do 420i, feito para aqueles que preferem contemplar a paisagem enquanto dirigem.

Na pista de testes, o conversível acelerou de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos, o que é uma marca compatível com seu motor 2.0 turbo de 184 cv. Mas longe de empolgar. A dirigibilidade tem duas formas de ser analisada. Com a capota fechada, o 420i se comporta como um cupê, estável e obediente. Com a capota aberta, a carroceria perde rigidez e o carro deixa de ser tão equilibrado.

- Comparativo: cinco conversíveis para abrir o teto e cair na diversão
- Teste: Audi TT é bonito por fora e cheio de tecnologias por dentro
- Impressões: FIat 500 Cabrio Lounge tem charme e agilidade de compacto

Esse é o preço que se paga pelo prazer de dirigir com os cabelos ao vento ou contemplando as estrelas - além de não poder preencher o porta- malas, que tem a capacidade reduzida de 370 para 220 litros, quando o teto está recolhido. Abrir e fechar a capota do 420i leva 25 segundos.

O acabamento é bem-cuidado e de bom gosto, com plástico de duas cores e frisos que se reproduzem no console e nas portas. Os bancos são de material que imita couro e o pacote de itens de série inclui faróis bixenônio, tapetes de veludo, sistema de som Harman Kardon e central multimídia com serviços de concierge, informações de trânsito em tempo real, chamadas de emergência e disco rígido de 20 gigabytes para armazenar a trilha sonora da viagem.

  • Fonte: QUATRO RODAS /
  • Autor: PAULO CAMPO GRANDE /
  • Data: 24 agosto 2015
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS