AVALIAÇÃO: HYUNDAI HB20S APOSTA EM EQUIPAMENTOS E DESIGN

Esta simples frase justifica a estratégia que a montadora sul-coreana adotará no pais. Ela quer conquistar os clientes pela quantidade de equipamentos e, claro, pela emoção. “O carro tem fatores que atraem o cliente pela racionalidade, mas nós queremos atribuir a compra principalmente à emoção, do cliente que deseja um carro com design moderno”, afirma o gerente de produto, Rodolfo Stopa. É por isso, aliás, que o design segue o mesmo caminho do rival Chevrolet Prisma. Sai de cena o sedã tradicional e entram os compactos com linhas inspiradas nos cupês.
Casey Hyun, responsável pelo design, explica: "Ele segue nosso padrão de carrocerias de sedãs, que mais parecem cupês, são dinâmicos e esportivos". E quem esperava lanternas parecidas com as do Elantra, se enganou. O HB20S lembra mais o Sonata, sobretudo por um ângulo lateral. São 33 cm de comprimento a mais que o hatch, totalizando 4,23 m e 1,68 m de largura. O resultado visual é uma tampa discreta, mas não tão curta quanto no Prisma. Por mais curioso que isso pareça, os sul-coreanos foram mais discretos que a Chevrolet nesse quesito.O novo porta-malas mantém a média de tamanho da categoria, com 450 litros de bagagem. Porém, são 30 litros a menos que o Voyage (480 l) e 50 litros a menos que seu principal concorrente, o Prisma (500 l). "Nosso consumidor não quer o maior porta-malas, mas um carro equipado, com design e sabendo que possui o porta-malas de um sedã", defende-se o diretor de marketing da Hyundai, Cássio Pagliarini. Por dentro, o espaço é exatamente o mesmo do HB20, sem tirar nem por.
Há bom espaço para quem viaja na frente, com direito a acabamento de tecido nas portas, e até de duas cores para as versões mais caras, intitulada Premium, que parte de R$ 50.795. Esta que nasce para enfrentar modelos como Ford New Fiesta e Chevrolet Sonic. Quem viaja atrás continua com o ótimo espaço para a cabeça presente no hatch, mas sofre um pouco na região das pernas, caso alguém com mais de 1,80 m viaje na frente.
O acabamento segue sendo um dos destaques desse coreano, que está bem acima da média de outros modelos do mesmo segmento no Brasil. O plástico utilizado no acabamento é de boa qualidade e há tecido nas laterais de porta desde as versões de entrada. Peca, porém, por alguns pequenos detalhes já antiquados, como um sistema de rolamento para ajustar a altura dos bancos. O Comfort Plus, modelo de entrada, também não traz ajuste de altura e profundidade do volante, presente apenas a partir do Comfort Style.

  • Fonte: AUTO ESPORTE /
  • Autor: RICARDO SANT'ANNA /
  • Data: 06 maro 2013
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS